Como foi a adaptação de quem veio de outro Estado?

17/06/2021

Como foi a adaptação de quem veio de outro Estado?

Além de trabalharem com a gente na fábrica, qual o outro ponto em comum entre o Leandro Gonçalves Santos ( portaria) e Ana Cláudia de Oliveira (tapeçaria) ? A resposta é : o desejo e a coragem de construir uma nova história, bem longe de casa !
Leandro, 39 anos, veio com a esposa, ambos de Vitória da Conquista na Bahia com o sonho de “conquistar” aqui no estado de São Paulo melhores oportunidades de vida e de trabalho. “Logo no primeiro mês consegui trabalhar como ajudante de pedreiro”, diz. A adaptação não foi difícil e ele conta que conseguiu fazer novos e verdadeiros amigos aqui. Leandro conta que sua mudança foi muito positiva e que só sente muita falta do pai, da mãe e do filho que ficaram na Bahia.
Ana Cláudia Oliveira Alves (tapeçaria) veio para São Paulo ao lado do marido, em busca de oportunidades. Em Espinosa, Minas Gerais, quase divisa com a Bahia ficou somente a mãe. Ana Cláudia disse que já se acostumou com a “pressa” dos paulistanos, ritmo bem diferente dos mineiros. “Para mim está valendo a pena morar aqui, gosto muito”. Saudade de Espinosa? Só de sua mãe. A única diferença que eu realmente senti foi de clima. “Meu primeiro moletom comprei aqui em São Paulo”, conta Ana Cláudia.